segunda-feira, 18 de março de 2013

A Imoralidade dos Papas


O Testemunho da história não favorece o catolicismo e muitos papas. Devido o Celibato que adotaram os escândalos tem acompanhado o sistema religioso que criaram, tão diferente dos evangelhos. Ainda hoje são uma constante na imprensa os deslizes morais entre eles; é impossível calcular os casos que não vieram e não vem a luz – Deus julgará.

O período mais tenebroso do papado foi entre os anos 904 a 963; esse período é conhecido como “PORNOCRACIA OU DOMINIO DAS MERETRIZES”.

- Theodora, sua filha e Marósia que eram prostitutas tinham tanta influência no Vaticano que colocavam na “cadeira de S. Pedro” amantes e bastardos.

O papa João IX era filho ilegítimo de Marósia, amante do papa Sérgio III, ano 941; o papa João XII, ano 955 violava virgens, viúvas e conviveu com a amante de seu pai ; esse papa fez do palácio papal um bordel e foi morto pelo marido de uma mulher que violou.

O papa João XXIII (Não confundir com o João XXIII mais recente) foi o pior deles!

Como cardeal e depois como papa violou mais de 200 virgens, mulheres casadas e freiras e conviveu com a mulher de seu irmão.

- Pio XII, ano 1458, além de sedutor foi corrupto, ensinava os jovens praticarem atos obscenos; Paulo II, ano 1464, encheu a casa de concubinas e o papa Inocêncio VIII, ano 1484, teve 16 filhos com mulheres casadas.

O papa mais devasso foi Alexandre VI, ano 1492-1503, foram anos de patifarias, foi pai de muitos filhos ilegítimos, foi amante de sua própria filha, LUCRÉCIA BORGIA e amante da irmã de um cardeal que se tornou o papa seguinte, Pio III,ano 1503.

- Esse papa, Alexandre VI gloriava-se do “fastígio dos prazeres” em que viveu. Quem for visitar o Vaticano poderá dar uma olhada nos aposentos desse papa...

- O papa Leão Xanos 1513-1521, era de família rica, comprou sua posição na Igreja. Com apenas 8 anos de idade já era Arcebispo e com 13 anos foi Cardeal.

- Esse papa manteve uma corte licenciosa e com seus Cardeais praticava “passa-tempos voluptuosos” em deslumbrantes palácios – foi esse o papa que Lutero enfrentou.

- O Bispo de Orleans referindo-se aos papas João II, Leão VIII e Bonifácio VII chamou-os de “Monstros cheirando imundícias”.

- O papa Marcelo II, ano 1555, registrou em sua biografia que “dificilmente um papa escaparia do inferno” (Vita del Marcelo Pg. 132).

- Santo Ulrico, bispo de Augsburgo, contou que o papa Gregório VIII, 1703, ordenou que se esvaziasse um grande aquário num convento de Monjas em Roma e encontraram 6 mil esqueletos de recém nascidos! Diante desse horror esse papa aboliu o Celibato, mas seus sucessores restabeleceram-no.

- Noutro Convento em Niuberg, Áustria, desenterraram 20 potes com esqueletos de bebes.

O papa Pio IV redigiu uma bula pedindo a todas as mulheres violadas pelos padres que apresentassem acusação; os casos foram tantos só em Sevilhia, na Espanha, que abandonaram os processos. (CHINIQUI Conversa de mesa DCCLXII).

- Presente o Vaticano reembolsa despesas com pílulas anticoncepcionais de seus funcionários. (Estado 23.03.83).
Petrarca, iniciador da renascença, 1304-1374, escreveu na sua epístola XII: “A Igreja de Roma, Babilônia infernal, que empresta o mundo inteiro; cárcere indecente onde nada é sagrado; nenhum temor de Deus, habitação de gente de peitos de ferro, ânimo de pedra e vísceras de fogo”.

- São Bernardo, doutor da Igreja também fustigou dizendo: “O contágio pútrido havia se estendido pelo corpo da igreja, o mal é inferno e não há cura”.

- Dante, na “Divina Comédia” supôs uma voz do Céu lamentando a situação da igreja Católica que dizia: “Oh nave minha, que carga ruim tu levas!”.
Todos esses deslizes do catolicismo levou o advogado Francês GAMBETTA, ano 1850, pronunciar sua célebre frase: “Lê clericalisme, voilá I’ennemí”.


Anotações e apontamentos

Nenhum comentário: